sexta-feira, 6 de julho de 2018

San Andrés, Colômbia | Informações e Preços | Antes da Viagem | Maio de 2018

Oi, pessoal!

Hoje eu vim falar pra vocês sobre a minha viagem para San Andrés. E trazer algumas dicas além das coisas que fiz/comprei/aluguei.


Vou colocar o vídeo aqui abaixo para quem preferir assistir, mas o que foi falado, também está transcrito no post. Absorva as informações da melhor maneira que puder ;)


Começando pela época do ano... A melhor época para ir é de Fevereiro(depois do carnaval) à Agosto. Apesar do Carnaval nem sempre ser comemorado em outros países, por trás dele estão os feriados, estes sim não comemorados em outros países e torna sua viagem um pouco mais cara. A melhor época é essa porque é baixa temporada e de Setembro à Novembro é a temporada de furacão e Dezembro, Janeiro e Fevereiro são as férias, então com alta temporada os preços ficam mais caros e tudo muito mais cheio.

Como a ilha pertence à Colômbia, a língua nativa é o Espanhol. Então eu sugiro ir pra lá já sabendo falar algumas coisas básicas só pra facilitar a comunicação. Como carne, frango (sempre tem alguém perguntando o que você prefere), obrigado, desculpa, quanto custa?... Mas tenho uma dica pra vocês. Se o seu celular tiver como baixar o google tradutos, eu sugiro que o faça. Nele você consegue baixar idiomas e deixar salvo pra poder usar sem internet. Foi bom pra comunicação fora de wi-fi (já que não comprei chip e nem paguei pacote internacional pra usar internet - aliás, eu sugiro, assim você se obriga a curtir muito a viagem e esquecer do mundo por um tempinho).

E ai, agora partindo pro Seguro de Viagem, será que você deve fazer? Na boa? Eu acho que não custa nada fazer. Claro que ele tem um custo kkkk mas eu prefiro pagar um valor que não vai fazer tanta diferença no final de tudo, pra garantir que se alguma coisa acontecer, eu vou estar respaldada. Cada seguradora oferece planos e situações que estão incluídas do seguro, e aí você escolhe o que te contempla melhor :) O Luiz que fez o nosso, então não sei o que abrangia, mas pagamos R$126,00 cada um.

Ta, bom, agora vamos falar da moeda local que são os Pesos Colombianos (COP), você vai ver muito essa sigla por aí... Eu não tenho como dizer quanto o peso colombiano está valendo porque o mercado tá sempre mudando e quem ver esse post depois ficaria desatualizado. Logo, eu sugiro manter essa pesquisa sempre atualizada, mas quando fui, COP 1.000 equivalia a mais ou menos R$1,40. O que acontece... não sai olhando o 1.000 e se assusta não rs apesar dos bastante zeros, o preço das coisas também tem bastante zero, então meios que não vale tanto. 

Você pode fazer o câmbio aqui no Brasil ou lá na ilha. No Brasil você pode sair daqui com o Real (pra trocar lá), com dólar (pra trocar lá) ou em pesos. Se você for levar o real, o único lugar da ilha que converte é o aeroporto, então dependendo de onde você se hospedar, dá pra ficar trocando, mas se você estiver longe ou você troca tudo quando chegar ou troca antes de ir pra ilha. Se você levar dolar, o câmbio de dólar e euro por lá é mais fácil. Você pode fazer pela Western Union (WU) que tem uma das melhores taxas de conversão ou pelos bancos (bancolômbia, allianz). Eu fiquei trocando dolar pela WU e lá você precisa sempre estar com seu passaporte ou algum documento legal para poder trocar. Se você for levar dolar pesquise bem casas de câmbio e banco do Brasil. Dependendo do Banco, as taxas são melhores que em casa de câmbio. Mas cuidado com casa de câmbio, as de aeroporto tem umas taxas absurdamente mais altas que o resto. É preciso pesquisar. Depois que descobrir o melhor lugar, vai trocando aos poucos pra você não ter que andar com muito dinheiro de uma vez só. E mais um detalhe: lá tem pessoas que trocam o dinheiro, pela rua mesmo, mas eu sou pé atrás e não troquei, não.

Lembrete: Dolar comercial é diferente de dolar de turismo. O de turismo é que o você compra pra viajar, é mais caro que o comercial. E é o dolar comercial que você vende aqui pra converter de volta pro real.

Vamos falar de bagagem... A gente pode levar uma mala e uma bagagem de mão. Sendo que a mala não pode passar de 23kg. Se passar, tem que pagar. Então busque colocar coisas leves, dispensar o que não é necessário e descobrir maneiras de levar coisas que seriam mais pesadas. Como citei no vídeo, por exemplo, ao invés de levar o shampoo todo, levei uma parte num pote menor e pesou menos, consequentemente. #FicaADica

Outras dicas são sobre o que levar na mala: levar um creme de tratamento pro cabelo porque sol e água do mar todo dia resseca muito. Um hidratante porque o dia todo com o sal resseca as mãos. Protetor solar dá pra comprara lá, tem tudo em qualquer lugar, mas por garantia, leva um creme pós sol também porque se acontecer de pegar muito sol nos primeiros dias, a gente tenta acelerar essa recuperação pra conseguir aproveitar a viagem.

Mais uma dica (falei sobre isso um pouco no vídeo, não vou me estender aqui, mas quem quiser saber tá no minuto 7:19): Pesquise sobre itens listados pela polícia federal que podem ser transportados nas bagagens sem pagar taxa da alfândega. Isso é pra te ajudar a não ter que pagar por coisas que já são suas.

Antes da viagem você precisa de uma carteira internacional de vacinação para Febre Amarela. Cada país tem as vacinas que precisam ser tomadas, e pra lá é essa. Você precisa ir com um comprovante de viagem (eu levei a passagem aérea), seu comprovante de vacina e eles emitiram na hora. Se você não tomou, você pode tomar na hora e fazer. Maaaaas, preste atenção. Vacinas levam um tempo de mais ou menos 7 dias para te proteger, então tem lugar que não aceita se você tiver tomado a vacina há menos de 7 dias. Por precaução, toma antes por favor rs

Agora vamos começar a falar efetivamente sobre o trajeto...
A ilha pertence à Colômbia que faz parte do MERCOSUL, então não precisa de passaporte pra entrar. Mas é preciso fazer conexão para chegar lá porque não é todo avião que cabe no aeroporto da ilha. As passagens mais comuns tem conexão em Bogotá, que também é Colômbia, então tudo bem. Mas também tem opção de conexão no Panamá (a que eu fiz), sendo assim, você precisa se atentar ao local de conexão, porque pra lá precisa de passaporte.

Claro que isso também interfere no preço da passagem. O local de conexão, quantas conexões, o intervalo entre os voos... E fizemos uma conexão no panamá com intervalo de 16, quase 17h entre os voos.  Na volta a conexão foi de 1h e 30 minutos, mais rapidinho, também no Panamá. As passagens para duas pessoas de ida e volta deu R$2852,96.

Como a conexão era muito longa, na ida, passamos uma noite no Panamá no Hotel Express Inn. Os taxista do aeroporto já tem um acordo com esse hotel e leva você de graça pra lá. Mas se você quiser dar gorjeta, vocês que sabem. Pagamos apenas uma diária, de US$ 50,00 (R$186,50).

Observação: Se atentem as datas de viagem e o tempo de voo, porque a nossa ideia era viajar depois do feriado, mas se quiséssemos chegar no dia seguinte ao feriado, teríamos que sair do Brasil no feriado, o que tornaria a passagem muito mais cara.

Ainda antes de ir para ilha, é preciso comprar a Targeta de Turismo para poder entrar na ilha. Sem ela, você não consegue entrar. Você pode comprar no aeroporto que você saiu ou na conexão, e você compra com a sua companhia aérea. Custou US$ 40,00 para cada um (uns R$149,20).

Continuação sobre a ilha (AQUI).

Nenhum comentário:

Postar um comentário