quarta-feira, 18 de julho de 2018

San Andrés, Colômbia | Preços, passeios, alimentação, hospedagem | Maio de 2018

Vamos falar da ilha, agora? Eu sei que foi uma surra de informação antes, mas as vezes é preciso rs


A ilha é um lugar sem muitas construções luxuosas, é mais humilde mesmo. E o centro onde tem as lojas, próximo a praia principal, é onde tem mais construção e é mais "bonitinho". Falando de localização, o melhor local para hospedagem é a parte do centro, na parte norte da ilha, porque é próximo de todos os passeios e você consegue fazer tudo a pé, com compras e alimentação. A parte de baixo da ilha não tem muito o que fazer e é distante de tudo, obrigando você a alugar um automóvel se você quiser fazer passeio, acabaria saindo mais caro pra ter que alugar por mais de um dia.

A pousada onde ficamos é a Miss Beryl. Ficamos por 7 dias e pagamos COP 980.000 (equivalia a R$1372,55). O pagamento é realizado com um sinal de 30% para garantir o quarto e o resto você paga lá na ilha mesmo quando chegar ou no final, vocês que decidem. Só aceitam pesos, não aceitam dolar ou real. A gente ficava a menos de 15 minutos de qualquer atividade que quiséssemos fazer. Ela é muito bem localizada. Se alguém se interessar pela pousada, busque entrar em contato direto com ela, porque sai mais barata a hospedagem. Pelos sites acaba saindo mais caro.


O quarto onde ficamos era uma suíte. Tinham duas camas, uma de solteiro e uma de casa. No banheiro, o chuveiro era um cano, mas isso não me incomodou porque eu já sabia que era assim na maioria das pousadas da ilha. A água é insalubre, então você pode tomar banho e tal, mas tomar cuidado pra não ingerir ou deixar na boca. A gente comprou água e deixamos uma garrafinha no banheiro pra escovar os dentes. Também tinha uma mini geladeira no quarto também, o que nos ajudou com nosso café da manhã, a gente comprou várias coisas no mercado que tem perto da pousada e guardamos lá e fomos comendo ao longo da semana. E tinha ar condicionado, o que é muito importante por lá porque constantemente está quente, um quarto sem ar ficaria mais complicado de ficar dentro dele.

A pousada tem serviço de quarto, todo dia eles entram e varrem o chão e limpam. Mas não trocam as toalhas todos os dias a não ser que você peça, por questão de economia de água e de luz.

Ter um mapa da ilha não é algo essencial, é legal você saber os principais pontos da cidade, e o mapa só te ajuda a entender pra onde ir. Mas isso você resolve com o Google Maps rs. Basicamente você precisa saber onde é a praia principal (que é a que consegue ver a ilha de Johnny Cay. Nessa praia principal, na direita dela, no final da praia, é o local onde fica mais concentrado locais para comer e onde tem um comércio mais agitado. Se você continuar seguindo, por uns 10 minutos andando, você encontra a Marina Portofino, onde saem os passeios de barco. Essa Marina tem um ponto de referência bem legal que é a Barracuda (uma praça com um peixe grandão no meio dela, uma barracuda rs). Basicamente conhecendo esses pontos, você já consegue fazer maior parte da sua viagem por alí.

Falando de comida. Eu e Luiz não comíamos todos os dias em restaurante ou lanchonete... Nós comprávamos um monte de comidinha e bebidas, deixávamos no quarto e comíamos de café da manhã. Almoço e janta a gente intercalava com um restaurante legal e uma comidinha mais básica, ou lanche. Nosso intuito era economizar pra aproveitar os passeios. E deu tudo certo.

Os locais que tem lá para comer são Subway, Café Café, Juan Valdez Café, El CorralPrestoLa Regatta... O La Regatta é o mais famosos dos restaurantes, é bem turístico, tanto que quando você vai na ilha é um dos locais que você não pode deixar de ir. O legal é que eles também tem opção de comida vegetariana. Um detalhe é que ele só funciona com esquema de reserva, tanto pra almoço quanto pra jantar, então se pretender ir lá, se programe pra dar tudo certo :) Fomos nos locais que sublinhei e era bastante fast food, nos últimos dias eu implorei por algum lugar com comida de verdade e achamos o Restaurante Morgan Chickens que me salvou. Tem feijão e arroz!! ♥ E acompanhou um pedaço de frango e batata frita. Eu adorei e até fiquei com água na boca agora porque era bem temperado.

Os preços das comidas variam muito de lugar pra lugas, mas com COP 90.000 (R$126,05) por dia, você come bem com almoço e jantar. Nesse restaurante Morgan Chickens, por exemplo, um prato grande e gostoso era menos que COP 18.000 (R$25,21). E como Eu e Luiz fazíamos compras, economizávamos sempre em uma das refeições. E lá, alguns pratos você consegue pedir um e dividir com mais uma pessoa por ser muito grande.

Vou deixar aqui, agora as opções de passeios que a ilha oferece com seus respectivos preços, pra te ajudar a se programar. (E vou fazer outro post com nosso cronograma, caso alguém se interesse, com fotos, inclusive)

Se você não tem ideia de por onde começar, eu sugiro que você vá a Marina Portofino. 


A maiores atrações da ilha são os passeios de barco, então na Marina é onde estão os responsáveis por esses passeios. Lá vocês encontra visita às ilhas de Johnny Cay, Accuario, Haynes Cay, Mantarraya, Cayo Bolívar. Visita à Reserva, passeio de Parasail.

Lá tem passeio VIP, que inclui Johnny Cay, Accuario, Haynes Cay, Mantarraya e Reserva. São todos que entram em um pacote só. Mas tem passeio que alguns lugares não estão incluídos. Nós fizemos o VIP pela Beethoven Tour's e pagamos COP 35.000 (R$49,02). Esse pacote nós pegamos pela nossa pousada porque nas ruas o pacote oferecido era COP 30.000 e não tinha todos os locais inclusos, então achamos que valeria mais a pena.

Não esqueçam de levar protetor solar e de passar toda hora, parece que não, ao longo do dia você as vezes não percebe mas o sol queima bem... Cuidado com isso. De 9h da manhã âs 16h, nós passamos protetor umas 5 vezes ao longo do dia.

Na ilha Johnny Cay tem almoço e drinks que você paga por fora. Minha sugestão é de que você tome uma piña colada, de preferência a não alcoólica, ela é bem boa pra relaxar e é bem docinha. E também uma limonada de coco. Olha que eu não gosto de limonada e achei uma delícia também. Esta é mais refrescante. Lá vocês também podem fazer o passeio de Banana Boat, quem fez achou bem legal! A gente tava nos primeiros dias, então resolvemos economizar pra outros passeios.



Depois tem Accuario que não é uma ilha, é um banco de areia. É bem rasinho então a água não bate mais que a altura do peito. E por ser um banco de areia, não tem corrente de água, então fica quentinha. Se levar uma máscara de mergulho (nós compramos na praia principal por mais ou menos COP 25.000, uns R$ 35,01 reais) vocês conseguem ver bem de pertinho os peixes que ficam circulando por lá, bem fofinho e de vários tamanhos. 

Do lado de Accuario, mas é do lado mesmo, tem Haynes Cay, que você consegue atravessar andando pela água. Aliás, é uma das principais atrações de lá esse passeio aquático rs. Em Haynes cay tem um espacinho pra ficar curtindo a natureza, mas não tem muito o que ver por lá, o mais legal é a travessia mesmo e a vista ♥

Nesse passeio VIP vocês devem passear com a sapatilha de neoprene porque tem muito coral e podem acabar machucando os pés. As nossas nós compramos na ilha mesmo e sugiro que comprem por lá porque é mais barato. Custou COP 12.000 (R$16,81).

De lá vocês podem ver Mantarraya. Mantarraya é a raia que conhecemos e onde elas ficam é bem do ladinho de accuario, mas dependendo da época, a maré está baixa e vocês conseguem ir andando de accuario, mas se tiver alta, vocês vão de barco. Quando fomos estava alta então tivemos que ir de barco e podia sair do barco depois para mexer com as bichinhas.

De lá, as pessoas vão para a reserva. Em si a reserva não tem nenhuma aventura mas eu amo natureza, então foi bem especial passar por meio daquelas ávores por um riozinho, eu nunca fui na floresta amazônica mas por um momento me senti lá pelo que eu vi ser parecido com o que passa na TV. Muita paz.

Você também podem fazer passeio para a ilha de Cayo Bolívar. É mais distante que essas e custa por volta de COP 160.000 (R$224,09) incluindo uma refeição por lá. Mas procure saber antes porque pode ser que o mar não esteja com condições para navegar e esse passeio não esteja acontecendo no momento (foi o que aconteceu comigo).

Também tem a opção de fazer Parasail, ele custa US$60 ou COP 160.000 (R$224,09) É uma atividade que precisa de vento pra ser feito então tenta deixar para os primeiros dias de viagem porque se acontecer de não ter vento, você consegue ir tentando outros dias. No meu caso, eu marquei logo pro início e nos dois dias que fui estava sem vento :,( O melhor horário para fazer é quando o sol está mais reto possível (entre 11h e 14h), que a luz entra na água e as cores ficam muito mais intensas do que quando é de manhã ou bem a tarde e fica tudo meio sem cor. Mas pra não sofrer muito com a intensidade do sol, passa bastante protetor solar pra evitar problemas rs

Mais um passeio é a volta a ilha. Você consegue dar a volta, se não parar, em 2/3 horas, depende do veículo que você estiver usando. Mas é sempre bom ir parando e aproveitando os lugares porque tem certos locais que são atrações mas são mais afastados do centro. Pra isso, você pode alugar uma mulita, um carrinho de golfe, carros ou moto. O mais comum lá é mulita e moto. Mulita é um carrinho de golfe mais potente, é uma boa opção se você está viajando em mais pessoas ou se não gosta de moto e prefere algo que se sinta mais seguro. Costuma custar por volta de COP 180.000 (R$252,10) . Mas no nosso caso, alugamos moto, porque era mais barato e era o que a nossa pousada já oferecia. Custou COP 80.000 (R$112,05). Quando você aluga, já vem com alguma gasolina no tanque e na hora de devolver ou você abastece (não sai por mais de COP 9.000 = R$12,60 pra encher o tanque da moto) e entrega como recebeu ou paga pela gasolina para eles colocarem. Além disso, os aluguéis costumam ser de 8h às 18h. Mas se quiser algum horário diferente, conversa com eles e tenta negociar, as vezes você consegue :)

E com certeza vão te parar pra olhar os documentos. A ilha é cheia de polícia de turismo e quando te pararem você precisa estar com o documento do veículo (que quem tem alugar, vai mostrar onde fica, se não, pergunte) e o comprovante que você alugou. E só e te liberam. Não precisa ter Carteira Internacional de Habilitação pra dirigir na ilha.

Esses locais mais afastados temos o West View, que é onde tem o famoso trampolim. Custa COP 5.000 (R$ 7,00) pra entrar e você tem direito a pãozinho para jogar para os peixes. Também tem um tobogã por lá que sai direto no mar, aluguel de colete salva-vidas pra quem quiser entrar na água mas não sabe nadar ou prefere se sentir mais seguro. Lá é onde fica o posto do Aquanauta, o mergulho com um "capacete" que circula o ar, e não precisa respirar só pela boca. Mas você também pode fazer snorkeling pra ver os muitos peixinhos que tem por lá.

Também tem o La Piscinita (COP 5.000 = RS7,00) que fica ao lado do West View. Lá é mais local para nada e mergulho, não é tão fundo. O mergulho pode ser por snorkeling, aquanauta ou cilindro  também (preços dos mergulhos mais abaixo no post), porque tem umas rochas que você pode ir entrando e vendo bichinhos diferentes. Lá é onde tem a estátua de Poseidon, bem famosa por vários turistas terem fotos lá.

Outro lugar que vocês podem ir na volta a ilha é o Oyo Soplador, que fica no extremo sul. Não custa nada para ver mas depende muito do mar para estar "funcionando". É uma espécie de buraco por onde a água sobe, mas para a água subir o mar precisa estar agitado pra água bater e conseguir espirrar pra cima.


Também tem a Playa de San Luis, que fica do lado leste da ilha, e tem o famoso navio naufragado e é onde fica Rocky Cay, que você pode ir andando pra ela. Tem um caminho que fica marcado com uma corda e bolinhas pra ninguém se afastar de mais e correr perigo. Mas cuidado, porque dependendo da hora o mar começa a subir, eu como sou baixinha ficou difícil dar pé pra mim, então eu subi nas costas do Luiz kkkkkk. Então a partir de 3/4h da tarde eu sugiro que não façam o caminho andando, pode ser complicado e perigoso. Mas se você for cedo e levar sua máscara de mergulho, você pode nadar até o navio e entrar nele para explorar. Ele fica bem próximo da Rocky Cay. E nessa parte da ilha você não precisa pagar nada pra acessar, mas você pode alugar um armário pra guardar as coisas enquanto for nadar e tendas pra se proteger do sol. Mas você também pode investir em um saco tanque que fica vedado e você pode entrar na água com qualquer coisa, inclusive celular e dinheiro.

Ainda de atração tem a Casa Museo (COP 8.000 - R$11,20) e Cueva de Morgan (COP 15.000 = R$20,00), que ficam do mesmo lado que West View (lado oeste).

Mais um dos passeios que pode-se fazer na ilha é o Notche Blanca (COP 100.000 = R$140,06)... Você precisa ir, obrigatoriamente, com uma peça branca. Funciona de segunda a sexta-feira, das 19:30h às 23:00h. Tem várias atividades dentro do barco incluindo comidas e bebidas, um dançarino que tem que ficar tentando imitar kkkkk O barco fica ancorado no pier por um tempo, depois ele sai e se afasta um pouco e, próximo do horário, ele retorna ao píer.

Agora vamos falar de mergulho! Foi uma das coisas que quis fazer porque seria minha primeira vez e fiquei bem empolgada. Você tem três opções:

Snorkeling, onde você usa uma máscara e uma cânula pra respirar e não paga nada além do preço da máscara que é sua. E você pode fazer em qualquer lugar que você for e quiser levar. A máscara que compramos, foi na praia principal, com uma espécie de camelô, e custou COP 25.000 (já citei mais a cima no post).

Aquanauta, é um capacete ligado a um tubo pode onde circula ar. Você coloca e mergulha, a desvantagem é que você fica limitado ao chão, não consegue flutuar, e você tem um espaço determinado pra andar. A vantagem é que, quem tem dificuldade para respirar pela boca, esse capacete pega a cabeça inteira, então é mais confortável neste ponto. Custa COP 100.000 (R$ 140,06) e eles podem oferecer fotografia e filmagem a parte.

Cilindro, é o mergulho tradicional, com um cilindro de ar comprimido. No local onde fizemos, custou COP 140.000 (R$196,08) cada pessoa e foi dado um mini curso de mergulho para aprendermos a comunicação embaixo d'água e como nadar, propriamente. Você também pode comprar fotos e vídeos que custou COP 80.000 (R$112,04) porque certa profundidade a pressão da água é muito grande, então a câmera precisa ter uma capinha específica pra não entrar água e um filtro de luz porque a luminosidade, pra câmera fica meio debilitada e a imagem fica ruim.

De preço é isso que consegui, gente, qualquer dúvida, só me perguntar :)

Quer saber nosso cronograma? É só olhar o próximo post :*

Nenhum comentário:

Postar um comentário